Eu Odeio Quando… *

Lançaram um tempo atrás um filme com o título “As Dez coisas que eu mais odeio em você”. Na TV Americana há um programa no qual casais dizem aquilo que mais odeiam sobre o/a companheiro/a, e se acertarem a reposta do/a parceiro/a, levam o grande prêmio.
Resolvi entrar na onda e dizer as coisas que despertam em mim aquele furor de ódio. Porém, não sei guardar raiva de ninguém especificamente então resolvi escrever sobre as coisas que me fazem descer do salto de uma forma genérica no dia- a – dia. Nada pessoal contra ninguém que se identifique com uma das situações que me fazem rodar a baiana.
1- De manhã cedo (eu considero cedo antes das sete da manhã), estou dormindo tranquilamente, sonhando com ondas, uma praia de areia branca, eu deitada na prancha de body esperando aquela onda perfeita chegar para conseguir virar 360º dentro do tubo de água cristalina e assim que ela vem chegando… alguém puxa meu pé por baixo do edredom e sem a menor cerimônia diz: Não vai trabalhar não?! Sete horas da manhã.
Aí você já pode imaginar que meu dia não começa lá muito agradável
2- Como tenho que trabalhar de roupa social, não posso ir calçando sandálias havaianas para o meu serviço (infelizmente, diga-se de passagem) então lá vou eu equilibrar meu um metro e setenta e dois centímetros (centímetros a valer para uma garota não?!) em cima de um salto de oito centímetros. Primeira parte ruim: Meu vizinho de baixo tem o sono de uma gazela e acorda com o simples fato de eu descer um lance de escada usando os benditos saltos. Resultado: Ou, eu vou na pontinha dos pés para o salto não bater no chão, ou desço descalça. Passada a primeira prova de obstáculos, vem a próxima e mais impiedosa: As calçadas da cidade de São Paulo! Cheias de buraco, falhas, e dejetos caninos, dos quais toda vez que tento me desviar acabo prendendo a porcaria do salto num buraco, aí já viu né? Fico naquela situação constrangedora de dar um passo para frente e o corpo ficar para trás. Nessa altura do campeonato meu bom humor já desceu pelo ralo.
3- Como não bastasse os acontecimentos acima, outra coisa que me irrita profundamente é quando estou chegando ao ponto de ônibus e o bendito passa. E vazio!
O próximo claro vai demorar quinze minutos e virá lotado de gente. Principalmente se estiver calor. E se estiver chovendo. E se a mulher que está parada na porta for irmã gêmea do Jô Soares.
4- Mas nada melhor que chegar ao prédio onde eu trabalho e encontrar uma ou outra colega de trabalho. Para tentar aliviar a tensão sempre vou ouvindo um bom cd de rock no meu discman e quando encontro as figuras educadamente retiro um dos fones para conversar amenidades. Numa dessas umas das caras colegas disse que eu iria ficar surda com um som tão alto e eu polidamente respondi: É essa a intenção. Não deu para agüentar.
5- Um mundo globalizado, é claro, te trás vantagens absurdas como conversar com sua colega de baia que senta de costas para você via MSN Messenger, mas é claro que tem a parte ruim. Trabalho com meu Outlook o dia todo. Ai aquele envelopinho aparece no canto inferior direito da tela, e eu vou ver de quem é a mensagem. Antes que eu consiga teclar o “Enter” o telefone toca e o sujeito diz: Oi, eu acabei de te mandar um e-mail, você pode resolver isso?! Agora me responde: Se ia ligar para que mandar e-mail?
6- Eu ainda sou estagiária na empresa que trabalho, mas tenho uma série de responsabilidades e certo “poder” administrativo. Aí sempre tem aquele engraçadinho que diz: Ah, mas você é estagiária, como posso confiar na sua análise?
Que tal contratar uma merda de uma Analista mais competente ou efetivar a “escraviária” aqui ao invés de fazer perguntas cretinas?
7- Saindo um pouco do ambiente de trabalho e partindo para o campo da amizade. Meu amigo me liga precisando desabafar e pedindo um conselho sobre uma situação séria. Aí eu dou a opinião e a pessoa responde: Ai Rê, precisava ser tão radical?! Mais uma vez, se não queria saber minha opinião para quê me pergunta? Eu sei muito bem ouvir calada quando necessário.
8- E por fim, odeio do fundo da minha alma Italiana da Siccillia quando sento em frente ao micro para escrever um texto sobre as coisas que odeio o e danado trava e perde tudo, igualzinho aconteceu quando sentei aqui hoje a noite para escrever esse texto.

E agora me dá licença que vou ali tomar um litro de suco de maracujá antes que meus nervos se explodam!

Ouvindo: Green Day- International Super Hits – Nice Guys Finsh Last (garotos Legais Terminam por ultimo, e pior que é verdade).

* Texto originalmente publicado em 23 de Janeiro de 2005 às 22:50hs e comentários dos amigos republicados abaixo.
Anúncios

Um comentário sobre “Eu Odeio Quando… *

  1. Rey disse:

    Rê!

    Primeiro, quase chorei com tua declaração de amizade no meu blog…

    Depois, tu, me faz quase estourar de rir, com o teu furor siciliano…

    O segundo, compensa o primeiro e vice-versa.

    Mas, falando sério. Está escrevendo muito bem. O teu pensamento, flui fácil. Fica fácil a compreensão, até por quem não está acostumado a ler e interpretar.

    Queria estar, aí, como aquele outro amigo, aliás, mais amigo, porque, já quase… te ajudando na confecção do teu livro.

    Por falar em livro, estou esperando a resposta da editora da Zíbia para o meu: Até o Templo. Oxalá, saia logo. Assim, eu que nunca bebo, no lançamento, estarei aí contigo, tomando todas…

    Beijos! Mil beijos… Ah! quando o salto ficar preso, deixa o outro, quem sabe se não é um recurso divino para calçar alguém?

    Rey.
    24 de janeiro 11:56

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s