Atacando de crítica musical*

Quem me conhece e lê minhas crônicas sabe que sou amante de música até a medula. Mas, claro que há coisas que são intragáveis aos meus sensíveis ouvidos de Soprano (não esqueçam que já fui solista de um coral). Então resolvi pegar a letra de uma bandinha que anda aí na moda e fazer uma pequena análise, passo – a – passo para ver se existe vida fora do rock.

[PLAY]
Parece até conto de fadas
mas assim aconteceu
éramos dois apaixonados
Julieta e Romeu

[PAUSE]
Bonitinho o começo, parece até poesia mas a pessoa acabou se perdendo ali. Poderia ter sido mais criativa ao invés de rimar aconteceu como Romeu. De qualquer forma vamos em frente

[PLAY]
naquela noite encantada
pedi pra lua dos amantes
iluminasse essa hora
pra esse amor eternizar

[PAUSE]
Ok. Vou tentar não chutar o pau da barraca. Lua dos amantes?! Então agora cada um pode escolher o tipo de luar que quer? Existe Lua dos Filósofos? Lua dos Poetas? Lua dos góticos? Ar… vamos em frente.

[PLAY]
mas num passe de mágica
você desapareceu
um eclipse maldito
o encanto se perdeu
e o meu coração partido
foi sofrendo e foi sofrendo
tentando te encontrar na madrugada
fria madrugada!!!

[PAUSE]
Ora, mas então o bem querer da pessoa que escreveu a música era David Coperfild?! A pessoa sumiu num passe de mágica?! Ah não, fala sério no mundo real as pessoas não somem num passe de mágica! Se um relacionamento está ruim as pessoas se afastam, mas tudo tem um porque. Isso de que: “Ah, você sumiu sem dar notícias” não me desce a garganta. Se fosse amor não acabaria, e se acabou não era amor. Grumpf.

[PLAY]
(Refrão)
a lua me traiu (2x)
acreditei que era pra valer!!!
a lua me traiu
fiquei sozinha e louca por você!!!
aaa aaa não consigo te esquecer
aaa aaa apaixonada por você

[STOP]
Como assim a lua a traiu?! Então ela se apaixonou por um babaca sem caráter incapaz de levar um relacionamento de uma forma honesta e a culpa é da lua?! E não venham me falar de figuras de linguagem. Parei!
Vou voltar ao rock. Ao Metal!
E como diria uma música do Metalica:
Die, Die my Darling
Don´t utter a single word
Die, Die my Darling
Just shut your pretty eyes
I´ll be seeing you again
I´ll be seeing you in Hell.

Ou….
Morra, Morra minha Querida
Não diga uma única palavra
Morra, Morra minha Querida
Apenas feche seus lindos olhos
Eu vou te ver de novo
Eu vou te ver no Inferno.

(Vou tentar parar de escrever textos às segundas feiras. Ele saem muito ranzinzas)

*Texto originalmente publicado em 23 de Março de 2006 e comentários dos amigos re-publicados logo abaixo.
Anúncios

Um comentário sobre “Atacando de crítica musical*

  1. Rey disse:

    Rê!

    Também acho! Não parece a doce e bela metaleira que conheço… Parece mais uma italianinha turrona que briga o sibilar do vento; a algazarra das crianças; a música na vitrola… Só pode ser reflexo da lascidão do Douglas… rsrsrsr.

    Já me perdoou?????

    Adoro você, anjinha dropp, mesmo sendo preterido. Já disse que só aceito te perder para o Douglas…

    Beijos! Mil beijos…

    Rey.
    16 de março 15:36

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s