Balanço Anual: Meus 26 anos.

Senhoras e senhores temos a honra de receber aqui em nosso estúdio a ilustríssima futura administradora de empresas Renata Costa
(aplausos na platéia)
Entrevistador: Renata, é uma honra imensa recebê-la aqui em nossos estúdios.
Renata: Sim eu imagino que seja mesmo. Hey, não faça essa cara! É brincadeira!
E: Hahaha, sempre com seu humor afiado. Mas então Renata, como se sente chegando aos 26 anos de vida?
R: Hum, é um pouco difícil de dizer saber? Até uns anos atrás tanto fazia ter 15 ou 19, mas definitivamente depois dos 20 as coisas mudam. Hoje me sinto muito mais mulher, feminina, decidida e inteligente do que seis anos atrás.
E: Sim, é algo que nota-se à primeira vista. Mas o que tenho certeza que toda nossa platéia está ansiosa para ouvir é um breve resumo de sua trajetória até aqui.
R: Vamos lá! Espero que vocês não durmam.
Quando nasci meus pais eram pobres sabe, e não estou fazendo apelo emocional não. Minha mãe era diarista e meu pai porteiro de prédio. Eles moravam no fundo de uma casa no Capão Redondo, onde a umidade das paredes era tão grande que quando estava chovendo na Bahia começava a pingar água dentro de casa. Mas graças a Deus minha família sempre foi muito unida e trabalhadora e hoje moramos num lugar maravilhoso.
E: E sobre suas “artes” da infância e adolescência. A sua mãe nos disse que você era muito arteira
(entra vídeo da mãe dando depoimento meloso)
R: Ah, isso é verdade. Com cinco anos de idade eu lavei a cozinha do apartamento onde morávamos com óleo de cozinha, condicionador, creme rince (sic) azeite e shampoo. Depois quando ela chegou do trabalho, morta de cansaço, eu abri o maior sorriso do mundo e falei: Supêsa (sic)! Lógico que eu apanhei… haha. Mas foi para meu bem. Êta menina encapetada. Depois disso até que não tenho tantas estrepolias porque sempre fui uma criança muito doente, o que não me impediu de andar de skate durante doze anos. Todos os cabelos brancos da minha mãe com certeza foram dos tombos, ralados, hematomas e fraturas desses anos. Mas a parte boa de ser skatista é que acabei conhecendo pessoas maravilhosas, até fui noiva de um skatista. Aprendi a suportar a dor de perder amigos queridos nessa fase também. E principalmente, estive longe dos modismos e nunca tive a chance de ser “mimadinha” graças a Deus.
E: Sua mãe realmente deve ser uma santa senhora para ver você se espatifando. Mas você me disse que mudou depois dos 20 anos. Como foi isso?
R: Bom, na adolescência eu não pensava nem em fazer faculdade. Entrei em arquitetura, mas sai no segundo semestre por falta de vocação e outros motivos que não vem ao caso. Aos 20 anos quebrei o pé num half-pipe de skate e tive que parar. Ai pensei: que vou fazer da vida? Como já estava aprendendo inglês nessa época resolvi me dedicar de vez aos estudos: entrei numa escola técnica e depois na faculdade. Parei de ser maloqueira, comecei a ser mais feminina, mais mulher, fiz amigos valiosos que morarão no meu coração a vida toda, sofri decepções, perdi pessoas queridas. Enfim: entrei de vez na vida adulta, apesar de todo mundo achar que não tenho mais que 21 ou 22 anos por essa minha cara de menininha Sicciliana.
E: Muito interessante. Obrigada pela participação e desejo sucesso para você!
R: Eu que agradeço.

(nota mental: parar de tomar Fanta Uva)

Hey, se você chegou aqui depois de todo esse lengalenga: Parabéns! Gente eu sei que às vezes viajo e começo a escrever coisas totalmente sem sentido, mas hoje é meu aniversário e queria compartilhar com vocês um pouquinho das coisas que contribuiriam para fazer essa menina doida aqui chegar onde chegou. Mas, afinal hoje é meu aniversário e me dou o direito de encher lingüiça num texto sem pé nem cabeça. Parabéns para mim sim! E semana que vem eu juro que tento escrever um texto menos bobo, combinado?
Beijos da Rê

Anúncios

7 comentários sobre “Balanço Anual: Meus 26 anos.

  1. Candia disse:

    HAHHAHAHA
    Olha lindona. ADOREI!!!

    Queria agradecer alí embaixo o meu NOME PORRA!!
    U-huuuuuuuuuuuuu
    Vc e as meninas moram no fundo do meu coração!!!
    E gostaria de dizer tb…

    PARABÉNSSSSSSSSSSSSSSSSS
    Bom, já disse o que desejo prá vc no fórum, mas queria de ressaltar o “muito homem bonito e gostoso prá vc”
    hahahha

    Amo vc
    =**********

  2. Bárbara Amelize disse:

    Então… rsrsrs lá vem a Bárbara com a ladainha… rsrsrs Fui a primeira a ler este texto e portanto, nada mais justo que esperar um tempo para vir fazer os comentários, certo?! Ou não?! rs Bem, não importa… rsrs O que importa é o seguinte, não tem nada de lenga lenga e nem nada de bobo neste texto. Aliás, até disse que você deveria ter escrito mais. Contado mais coisas… rs Sim, eu me importo. E sim, adoro ler o que você escreve, e sim… o fato de ser sobre você mesma é só um diferencial que acrescenta. :D Rê, flower querida… já te disse tudo que penso e muitas características que enxergo em você e que aos meus olhos, fazem de você uma das pessoas mais incríveis que tive a oportunidade de conhecer. Não vou falar mais isso porque está repetitivo…. rsrsrs Mas, a questão é… com certeza, eu estaria na platéia ouvindo esta entrevista. E com certeza, seria aquelas bobas choronas que dizem para a pessoa que está sentada ao lado: “Sabe aquela lá? É minha amiga.” rsrs Com a maior cara de gente babona do mundo… hahahahahahah Nem me importo. Eu sinto vergonha pelos outros, mas não por minhas atitudes bobonas… rsrsrs

    Love you, Amore!

    E como eu disse no fórum, felicidade sempre (porque pra você, não desejo isto só no niver…:D)

  3. Marcia Mermaid disse:

    ops..
    Isso é que dá falar ao telefone e digitar ao mesmo tempo.. olha o meu nome como saiu!
    o comentário anterior é meu, viu?
    Mais beijos,

  4. Lady Sith disse:

    Rê, tenho que concordar com as meninas aí em cima, o texto não foi bobo coisa nenhuma. Gostei de saber um pouco mais sobre você, sobre a sua história. Muito legal.

    Espero que você tenha tido um ótimo aniverário. Beijos.

  5. Carolzinha disse:

    Pedindo permissão pra falar: Posso?!?!?!
    Minina, vc é BEM parecido comigo!!! Até em relação ao skate (só q eu nunca aprendi a andar de verdade), mas tive muita molecagem na minha vida… aliás, sempre tive mais pra moleca que pra princesa!!! Adoro essa minha cara de minino!!! rssss É bem mais divertido, diz aí?!?!? :oP
    Enfim… acho q a vida nos ensina a viver, independente de classe, cor, credo, cruz credo, qq coisa que seja cruize… rsssss!!!!!!
    Bjus e que vc curta MUITO seus 26 anos, assim como eu já curti o meu (cara de vergonha)!!!

  6. Mymi disse:

    Rê, eu estive longe no dia do seu niver, mas, antes tarde do que nunca, PARABÉNS!

    ;**~

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s