Tratado da pretensa escritora (ou como é que coisas tão absurdas surgem nessa página da Web)

No começo das férias da faculdade (cerca de um mês e meio atrás) resolvi impor como meta ao meu espírito criativo que deveria escrever dois textos por semana para exercitar minha capacidade de pretensa escritora.
Obviamente que a fonte criativa por vezes seca e fico longos minutos com os dedos pousados no mouse e o olhar perdido observando o cursor piscando no canto esquerdo da tela. Ai começo a navegar pela Web em busca de inspiração, e normalmente vou aos mesmos sites diariamente como o Garotas que Dizem NI, o Idéias Mutantes e o Curto & Grosso (todos de certa forma padrinhos do Idéias em Fuga). Mas, às vezes, nem assim consigo bolar algo criativo e o cursor continua zombando da minha cara na telinha branca.

Nessas horas costumo vasculhar o baú de memórias da infância e adolescência varrendo o tempo em busca de estórias mirabolantes, casos, músicas, programas de televisão, brincadeiras, qualquer coisa que ajude, mas nem assim a coisa flui. Me volto então para as atualidades: cinema, música, livros, comportamento e nada. Eu desconfio que às vezes alguém tranca a porta da criatividade da minha mente insana e leva a chave embora me deixando à mercê do monstro do bloqueio criativo.

Quando vejo que não há mais nada que eu possa fazer recorro imediatamente ao lado sombrio e obscuro da parte criativa e começo a escrever contos que misturam muito pouco da realidade com uma dose cavalar de coisas que nunca vivi ou presenciei, e, bem ou mal, são eles que me salvam da derrocada de olhar para essa página verde sem nada novo publicado.

Porém, é claro que chega uma hora que a criatividade para contos serelepes acaba e começo a pensar sobre outros temas de contos que podem surgir, e não sei se devido à minha revolta com algumas atitudes hipócritas que vejo no dia – a – dia, ou pela complexidade de algumas letras de música que gosto, minha mente tem se voltado vertiginosamente para a geração de idéias com as quais tenho lutado para não publicar e que estão fervilhando em minha mente. E os temas certamente não são os mais carismáticos, sensuais ou envolventes. Todos tem ligação com o lado negro e sombrio da psique humana: suas manias, taras, desejos secretos, maldades e crimes; como eu disse ali em cima nada necessariamente que eu tenha vivido passado ou concorde, mas eu tenho a estranha capacidade de me colocar no lugar desse tipo de personalidade “desviada” e tentar pensar como eles, saber o que passa em suas mentes, seus desejos mais íntimos, e isso tem gerado um turbilhão de idéias que precisam de uma válvula de escape.

Então queridos leitores, se daqui alguns dias vocês se depararem com textos tratando de temas polêmicos, entenderei caso fechem a página ou não queiram comentar, mas eu preciso colocá-los para fora em forma de conto, ou eles podem tomar conta dessa que voz escreve.

Anúncios

9 comentários sobre “Tratado da pretensa escritora (ou como é que coisas tão absurdas surgem nessa página da Web)

  1. Rafa disse:

    Rê,

    Adorei o modo como abardou a falta d criatividade e adoreis suas técnicas para buscá-la.
    Quanto a temas polêmicos e outros temas acho que devemos escrever o que vem à cabeça….e vc faz isso maravilhosamente bem.
    Ótimo fim de semana.
    Beijos

  2. Mestre Campestre disse:

    Ciao!
    Muolto buono texto. :)
    Não tem como descrever melhor esse monstro que foi meu inimigo íntimo por um bom tempo: o bloqueio criativo.
    Aliás acredito que tuas técnicas me deram assunto pro texto dessa semana.
    Quanto aos assuntos polêmicos que você citou sei que fará um bom trabalho em seus textos.
    Aliás, vou deixar aqui uma frase que me inspira sempre, espero que faça o mesmo por ti.

    “A verdadeira glória consiste em fazer o que merece ser escrito,em escrever o que merece ser lido…”

    Apesar de ter uma experiência de vida bem pequena posso dizer que você escreve magnificamente bem e que terá sucesso em qualquer assunto que deseje retratar em teus textos. ;)
    Baci e abracci do Mestre

  3. Marcia disse:

    Ai que meda!! kkkkk
    Coloca isso pra fora, miga! Vamos lá. Fiquei até curiosa.
    Um beijo e até a volta das férias.

    ps: Anch´io ti amo!

  4. Eurritimia disse:

    eu acho q vc tem q ler mais textos da luciana do rócio pra ver se a inspiração volta

  5. Lady Sith disse:

    Escreva sobre oq você quiser. Esse espaço é justamente para abrigar as suas “idéias em fuga”. E nós não temos que ter sempre vontade de escrever sobres coisas legais, engraçadas e felizes. Pode botar tudo pra fora. Beijos.

  6. Lídia disse:

    Não se reprimima cara irmã.
    Conte-nos que idéias estão querendo fugir de sua cachola!
    Vamos devorar tudo e comentar muito.
    bjos

  7. Mymi disse:

    Abra suas asaaaaas
    Solte suas feraaaaas (8)

    Você pode escrever até sobre a composiçao química de vômito de bebê que eu vou continuar te lendo, Rê!

    =*****

  8. Bárbara Amelize disse:

    Hahahah… To rindo do comentário da Mymi. Ela falou tudo. Mesmo com atraso, tá aqui sua hermana que vai ler tudo que escreve mesmo se o assunto do texto for o citado por ela. hahahaha

    Quanto ao texto e ao bloqueio… hum… sei bem. Tem horas que nada aparece. Mas, acho que por ser este seu espaço, coloque tudo que está na cabeça. Mesmo que pareça meio ranzinza.. hahahaha Você tem habilidade para escrever sobre o que quiser, hermana. E nem estou aqui babando ovo (será que não? hahaha).. é que eu sou suspeita e tal. Mas, enfim… sua criatividade e capacidade de escrever estão acima do assunto. Ele é um mero coadjuvante! :D

    Amo-te!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s