Somewhere Ville (Parte 1)

Especial Halloween
A família de Kate mal pode conter a surpresa ao receber a correspondência naquela manhã chuvosa de outono. Um tio do pai de Kate havia falecido, e deixou para sua família toda sua fortuna, além de uma mansão gigantesca na cidade de Somewhere Ville, que ficava do outro lado do país.
Então, dentro de duas semanas sua vida mudou completamente: ela e seu irmão Kris deixaram para trás os amigos e amigas de infância, a escola, as aulas de natação, os passeios de skate no parque aos fins de semana com os amigos e rumaria para o desconhecido já que nunca tinha falado daquela cidade antes.
Depois de muitas horas de viagem, finalmente chegaram ao seu destino e encontraram a mansão numa rua central da pequena cidade, próxima a uma praça cheia de lindas árvores, uma escola que estava em silêncio e muitos pequenos comércios, todos fechados
– Deve ser por conta do horário. Já é tarde, – pensou Kate tentando afastar um calafrio que se acometera de seu corpo.
Mais tarde naquele mesmo dia enquanto auxiliava a mãe a guardar as roupas recém compradas no armário em seu quarto, ouviu alguém bater a porta. Correu para atender, e quando abriu a porta conteve-se para não gritar. Paradas em sua frente estavam duas garotas tão brancas quanto fantasmas
– Olá, somos suas vizinhas aqui do lado e viemos trazer esse bolo de boas vindas para vocês.
Kate, então sentiu-se extremamente desconcertada por ter ser assustado com tão gentis garotas. O tempo passava rápido e Kate logo foi conhecendo os costumes da cidade, porém cada vez ficava mais intrigada.
Durante o dia mal via as pessoas na ruas da cidade. No colégio, onde as crianças passavam o dia todo, ninguém saia ao pátio para brincar, jogar bola ou tomar sol como estava habituada a fazer em sua antiga cidade, e todos pareciam tomados daquela estranha palidez de suas simpáticas vizinhas.
À noite, entretanto, a vida da cidade fervilhava. Todos saiam, iam a bares, sorveterias, cinemas, inclusive as crianças. Kate não compreendia como depois de tanta algazarra durante boa parte da noite todas estavam bem cedo na escola no outro dia.
– Parecem zumbis que não dormem mãe!
– Oras, Kate! Não seja tola. Todas crianças dormem, mas talvez sintam menos sono que você.
Mas, a mãe de Kate também estava preocupada. Na prefeitura, onde estava trabalhando como voluntária, durante o dia grossas cortinas passavam o dia tornando o ambiente escuro, e a noite seus colegas, assim como os de Kate caiam na farra até o amanhecer. E quando ela chegava cedo, todos já estavam trabalhando.
*******
Numa noite muito fria, Kate acordou assustada depois de um pesadelo, no qual pessoas vestidas com capas negras a amarravam em uma cama de madeira, e cortavam o topo de sua cabeça com uma espécie de adaga. Ainda tremendo, desceu até a cozinha para tomar um copo de água, e quando abriu a cortina viu ao longe, no celeiro abandonado no alto da cidade tomado por uma luz verde e ao longe podia ouvir risadas e gritos quase alucinados. Quando ia abrir a janela para ouvir melhor, sentiu uma mão em seu ombro, e acabou soltando um grito de horror que foi acompanhando por seu grito que cortou como uma faca o silêncio da casa.
– Calma Kate! O que foi?
– Kris! Quer me matar do coração é?!
– Não! Eu só vim aqui tomar água, porque tive um pesadelo horrível e…
– Você também?
– É, mas deixa isso para lá. O que me preocupa é aquele luz verde ali. O que será que eles estão fazendo? Hoje a cidade está vazia, não ouve festa na praça.
– Melhor a gente não falar nada pro pai e pra mãe Kris. Vamos averiguar por nós mesmo.
*****
No dia seguinte na escola, todos os alunos e professores estavam ainda mais pálidos que o habitual, e pareciam todos muito cansados. Com o passar dos dias, a rotina da cidade voltou ao normal, mas Kate e Kris permaneceram atentos e notaram que todos os últimos dias de todos os meses o celeiro voltava a ser tomado pela luz verdes e vozes febris. Resolveram então naquela noite ir averiguar o que acontecia pessoalmente. Na calada da noite pegaram lanternas e capas e foram até o celeiro. Conforme iam passando pelos quintais das casas da cidade percebiam que todas estavam vazias. Lá chegando, abaixaram atrás no celeiro que fora construído ao redor de uma grande árvore e o que viram lá dentro os deixou totalmente estarrecidos…..

Continua

Anúncios

7 comentários sobre “Somewhere Ville (Parte 1)

  1. muta disse:

    santo mistério batman!

    droga, odeio séries… agora entendo o que o pessoal sente com os contos q não termino!

    hahaha.

    quando sai a continuação?

  2. Nana Flash disse:

    Aaaaaaaaaaaaaah poxa, isso naum se faz… quero ler o resto :(
    Averiguar? Eu? Ia era tirar foto, vender p jornal e correr da cidade, eu hiem!
    Beijus!

  3. Lady Sith disse:

    Ainda bem que só li esse texto hoje. O dia 31 está mais próximo e eu ficarei menos agoniada esperando o final. ;)

    Beijos.

  4. Mestre Campestre disse:

    Impressive, most impressive.

    Muito bom Rê, já estou aguardando a continuação.

    *Espero que eles não encontrem uma secretária eletrônica…

    Baci

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s