Marias Chuteiras no Pan Rio 2007

Ao contrário do que o título possa parecer isso aqui não é uma crítica às moçoilas que adoram se “amarrar” a jogadores de futebol.

Muito pelo contrário é uma justa homenagem às brasileirinhas que acabam de ganhar a medalha de ouro no futebol dos Jogos Pan-americanos Rio 2007. Aliás, taí uma coisa que me deixou muito orgulhosa: o Brasil ser novamente sede desse evento esportivo tão grandioso.

E a segunda coisa que me deixou orgulhosa foi ver essas garotas trazendo o bi – campeonato da modalidade para casa.

Apesar de não suportar o Galvão Bueno, sou obrigada a concordar com ele e com o Dener: essas meninas merecem muito mais que nossa admiração, respeito e torcida. Elas merecem que as confederações esportivas de todos os estados do país e a Federação Brasileira voltem os olhos para os talentos que essas meninas possuem nos pés!

Em um país como o Brasil, onde o esporte é amado, idolatrado e cantado em verso e prosa é muito estranho que a versão feminina seja assim tão desvalorizada. Eu estudei com muitas garotas que davam um verdadeiro show na quadra e nos campos em campeonatos como a saudosa copa Dun´up. E tenho certeza que elas se espalham Brasil afora. Porém, infelizmente pela falta de campeonatos oficiais e incentivos essas garotas só acabam tendo chance no exterior ou vão fazer outras coisas para poder viver, já que não podem ser profissionais do esporte.

Então fazendo coro com a Daniela Alves (jogadora da seleção feminina) eu torço para que as escolas, faculdades, clubes e federações desse país se empolguem com essa vitória e incentivem que o futebol feminino cresça e apareça.

Até brigando elas são mais charmosas que os meninos

Anúncios

Acorda Brasil!

1997- Três adolescentes de classe média ateiam fogo em um índio da tribo pataxó que dormia em um ponto de ônibus na cidade de Brasília, pois havia se perdido do restante do seu grupo. Os adolescentes alegaram que achavam ser um mendigo. E se fosse. Não era digno de respeito, por acaso?

1999 – Edson era calouro da USP. Devia estar felicíssimo com o ingresso em tão disputada faculdade. Foi para a festa pensando em comemorar o tão suado acontecimento. Foi encontrado morto na piscina na manhã seguinte. Os acusados, todos de classe média alta, quatro estudantes de medicina, estão impunes até hoje e em 2003 estavam prestando suas carreiras como médicos. Agora eu me pergunto. Você confiaria a vida do seu filho a esses médicos?

2002 – Suzane era uma linda adolescente, filha de uma família rica, com acesso sempre às melhores escolas. Tudo indica que os pais a amavam e a apoiavam a não ser mo que se referia ao seu namoro com um sujeito que não julgavam de boa índole. A saída de Suzane para poder ficar com seu amado: matar os pais, claro! “Pena” que a polícia brasileira foi muito eficiente e descobriu a trama antes que ela pudesse colher “os louros da fama”, não é?

2007

– Garoto é arrastado por cerca de 7 km após o carro de sua família ser assaltado. Os assaltantes eram de “família” possuíam estudo, religião e boas condições. Parece que nem em família “perfeitas” as coisas funcionam direito às vezes.

– Doméstica de 32 anos é agredida por um grupo de cinco adolescentes de classe média alta enquanto esperava no ponto de ônibus para ir ao médico. Os garotos foram presos e um deles se entregou. O pai de um dos acusados ainda afirmou em rede nacional que não achava justo o filho ser punido como “bandido”.

Pois é. Não são apenas aqueles vivem na periferia e não tem condições de estudo é que são responsáveis pela violência. Não podemos generalizar nem de um lado – os dos pobres – nem do outro – os de classe média alta-. Só quero dizer que mais do que as condições de vida da pessoa as pessoas que educam e a personalidade da pessoa são determinantes do seu futuro.

Torço para que um dia eu possa criar meus filhos com base naquilo que mais prezo: o respeito ao próximo. E que essa vontade se estenda a todos.

Ainda bem que não é assim.

– E a torcida comemora ensandecida enquanto o time faz a volta olímpica dento do estádio carregando a taça da vitória.

– Acabou. Acabou, senhoras e senhores. O juiz aponta para o centro do campo e é fim de jogo.

– 45 minutos do 2º tempo. O estádio é tensão total. Ele se prepara, corre para bater o pênalti. E é gol.

– Ele tabela com um, dois, três. Senhoras e senhores que espetáculo, ele entra na pequena área… Nossa! Mas que entrada! E o Juiz marca pênalti! Penalidade máxima!

– E o zagueiro cruza para dentro do campo adversário.

– Começo do 2º tempo. O jogo continua no zero a zero. Visitantes 0 x Convidados 0

– Nada ainda. E é fim de 1º tempo.

– Ele cruza, Zezinho domina, chuta. A bomba! Estoura no travessão.

– Disputa de bola acirrada, e a posse é do time da casa.

– O juiz apita o inicio da partida e a bola está em jogo.

– Começo de jogo no Pacaembu! Jogo final do maior campeonato do país.


Texto dedicado ao Dener que de tão fanático por futebol, conseguiu me fazer pensar no esporte até de trás pra frente.

Conflito de Gerações 2

Ah, férias. Nada como 30 dias de ócio criativo para poder voltar a escrever. Estou com várias idéias na ponta do teclado, mas um conversa com uma das minhas primas adolescentes no MSN rendeu o que segue:

– OI Re…TudU BeM kUM vuxXxE??!?!

(Oi Rê, tudo bem com você?)

– (Com cara de indignada) oi priminha tudo bem e você?

– eU Tu oTImah!!!!! Tu APaixXxonADAH!!!!! oLHAH A FOteenhaH DelE NU MeU orkUT

(Eu to ótima! To apaixonada! Olha a foto dele no meu orkut)

– Ah … (errr) bonito ele. Mas, peraí que idéia é essa de colocar no seu perfil 18 anos. Você tem 15 ainda.

– Ah…EXXAh ideiAH fOI Du MEU aMorzInHu

(Ah, essa idéia foi do meu amorzinho)

– Sei .. e sua mãe sabe que você ta namorando um cara da minha idade?

– NauM!!!!! Elah nem DiSConfIaH…… axXxU ki somuxXx mIGUxXxUxXx

(Não! Ela nem desconfia. Acho que somos amigos)

– Miguxus, digo, amigos …… hum……

– Ah Re??!?! vUxXxE NaUm vaI KoNTah NadAh PrAH mINhAH MAi nEH??!?!

(Ah Rê? Você não vai contar nada para minha mãe né?)

– Não vou não, fica tranqüila. Bom, preciso ir fazer meu TCC. Cuide-se

– VuxXxe tB…… BJxXx

(Você também. Beijos)

Daí eu me pergunto: eu que to ficando velha ou as “crianças” é que crescem rápido demais?

Agradecimentos ao Espaf e à descoberta desse site maravilhoso