Quando a chefia é o Diabo …….

Eu não li o celebrado livro “O Diabo veste Prada” (The Devil Wears Prada), de Lauren Weisberger, quiçá vi a versão cinematográfica estrelada pela brilhante Meryl Streep que encarna o “tinhoso” no papel de Miranda Priestly. Mas, aposto minha coleção de moedas antigas que todo mundo aqui já passou nas mãos de um chefe (ou uma “chefa”) que era o belzebu em forma de gente quando:
1- São 17:58 da sexta-feira. Você já marcou uma cerveja com os amigos, quando ele/a entra triunfante na sala pedindo um relatório urgente, que deve ser entregue segunda-feira às 8 da manhã, sem falta. E ainda lhe informa que caso tenha alguma dúvida, que procure a secretária, pois ele/a estará aproveitando o fim de semana em Búzios.
2-Você é um trabalhador nato. Dá o sangue pela empresa. Utiliza os preciosos minutos do seu trabalho aperfeiçoando processos e ainda ajudando outros colegas. Eis que numa tarde de mau humor o diabo em forma de capeta te chama na sala e diz que seu desempenho é pífio e se tivesse de promover alguém no setor, certamente não seria você.
3- Após fazer cursos de língua, de especialização, de relaxamento (afinal para agüentar um chefe demoníaco só com muiiita meditação), você resolve pedir aumento, ao que recebe a velha “a empresa esta passando por dificuldades, e blá, blá, blá” quando você é a pessoa responsável pelas contas da empresa e sabe que o dinheiro está entrando que em água enquanto a BMW dele/a está estacionada na garagem e você, vai de ônibus para economizar.
4- Você está de férias marcadas há dois anos. Uma semana antes de você sair, sua estimada malevolência lhe informa que você não poderá sair de férias, pois devido a um projeto da empresa, sua presença e extremamente necessária. E ao invés de aproveitar o calor das praias nordestinas no verão você terá de aproveitar a chuva das praias nordestinas no inverno.
5- Após uma reestruturação da empresa você fica responsável por mais de uma dúzia de novas atribuições, e claro seu salário continua o mesmo, você acorda mais cedo, sai mais tarde, quando Vossa Excelência de Chifres lhe passa um projeto que irá consumir pelo mais duas horas de trabalho por dia. Pior, era ele/ª que deveria conduzir o projeto, mas não fez porque está saindo de férias.
6- Você se relaciona bem com seus colegas, sabe trabalhar em equipe, ajuda os outros em suas dificuldades e é até estimado pelo banco de cascavéis com que você trabalha. Eis que sua nota de desempenho por trabalho em equipe na avaliação semestral foi dois numa escala de zero a dez.
7- Numa reunião muito importante na qual Sua Diabeza está apresentando os resultados da empresa, os quais foram compilados por você, ele/a ao se virar para esclarecer esquece seu nome. E faz cinco anos que vocês trabalham juntos.
8- Você tem em cima de sua mesa um porta – retratos com uma foto em que você e sua alma gêmea compartilham um carinhoso abraço. Ele/a olha com desdém para a foto e diz que é inadequada para o ambiente de trabalho, e manda que você a guarde na gaveta. Enquanto isso na mesa dele/a vigora a foto gigante dele/a e da alma gêmea em um beijo cinematográfico.
9- Você convida sua colega de trabalho para um almoço descontraído para falar do tempo, da praia dos animais de estimação, e Vossa Demonhesa se auto – convida para ir junto, e o assunto do almoço é o desempenho/ problemas/ contas/ dinheiro da empresa.
10- Ao voltar de férias você encontra seu trabalho de pernas para o ar e leva cerca de duas semanas para deixar tudo em ordem. Quando termina você recebe um aviso que está sendo demitido porque seu perfil não se encaixa mais na empresa. E ao sair descobre que a melhor amiga da sobrinha do dono da empresa está sendo colocada no seu lugar. Vai saber o perfil dela combina mais com o do endemoniado.

Já trouxe o relatório de 1.412.126 páginas que solicitei uma hora atrás?

Titanic e eu

Então, faz mais ou menos uns 10 dias que a Ana do Coisas Bobas e Sem Noção, me convidou para participar de um Meme sobre o Titanic.

Como boa amiga (virtual) da Ana não poderia deixar de participar, mas como diria o Dener, depois agüentem as conseqüências, oras!

Em 1998 eu estava com 18 anos, e minha vida era trabalho e rock´n´roll, além claro de skate, bike e academia. Na verdade eu era um pouquinho viciada em adrenalina.

Meu pai era amigo de uma mulher que trabalhava na rede de cinemas Cinemark e ganhou uma porção de convites para ir ao cinema do Shopping Tatuapé que até então contava com pouco mais de alguns meses de inaugurado então era novidade. Só que os convites eram exclusivos para assistir Titanic. Eu não era lá muito fã do Leonardo di Caprio(sempre achei que ele tinha um rosto meio afeminado) e meus amigos de skate/ academia/ bike muito menos, mas lá fomos nós, já que tem aquele dito popular que diz que “de graça injeção na testa”. Chegando lá, aquela coisa básica de cinema: uma pequena fila (pelo fato do Shopping ainda nãos ser muito conhecido aqui em São Paulo), acompanhado de sacos de pipoca tamanho EXG, baldes de refrigerante e muita bala Hall´s para os que não iam aproveitar o filme.

Eis que foram aproximadamente duas horas de filme água-com-açucar, Leonardo di Caprio berrando que era o rei do mundo, mocinha aprendendo como é bom farrear sem pompa nem circunstância, quando o filme começa a ficar bom. Sendo meio sádica como sou lógico que a parte que mais gostei do filme é a que o navio começar a afundar (apesar de ser triste que aquilo tenha acontecido na vida real mesmo) e na hora que o Leonardo morreu congelado e afundou meus amigos (tão sádicos quanto eu) começaram a fazer uma ola no cinema! Imagina se fomos xingados/ vaiados/ excomungados? E foi isso que fez o Titanic ser um filme inesquecível para mim.

Afunda! Afunda!