Titanic e eu

Então, faz mais ou menos uns 10 dias que a Ana do Coisas Bobas e Sem Noção, me convidou para participar de um Meme sobre o Titanic.

Como boa amiga (virtual) da Ana não poderia deixar de participar, mas como diria o Dener, depois agüentem as conseqüências, oras!

Em 1998 eu estava com 18 anos, e minha vida era trabalho e rock´n´roll, além claro de skate, bike e academia. Na verdade eu era um pouquinho viciada em adrenalina.

Meu pai era amigo de uma mulher que trabalhava na rede de cinemas Cinemark e ganhou uma porção de convites para ir ao cinema do Shopping Tatuapé que até então contava com pouco mais de alguns meses de inaugurado então era novidade. Só que os convites eram exclusivos para assistir Titanic. Eu não era lá muito fã do Leonardo di Caprio(sempre achei que ele tinha um rosto meio afeminado) e meus amigos de skate/ academia/ bike muito menos, mas lá fomos nós, já que tem aquele dito popular que diz que “de graça injeção na testa”. Chegando lá, aquela coisa básica de cinema: uma pequena fila (pelo fato do Shopping ainda nãos ser muito conhecido aqui em São Paulo), acompanhado de sacos de pipoca tamanho EXG, baldes de refrigerante e muita bala Hall´s para os que não iam aproveitar o filme.

Eis que foram aproximadamente duas horas de filme água-com-açucar, Leonardo di Caprio berrando que era o rei do mundo, mocinha aprendendo como é bom farrear sem pompa nem circunstância, quando o filme começa a ficar bom. Sendo meio sádica como sou lógico que a parte que mais gostei do filme é a que o navio começar a afundar (apesar de ser triste que aquilo tenha acontecido na vida real mesmo) e na hora que o Leonardo morreu congelado e afundou meus amigos (tão sádicos quanto eu) começaram a fazer uma ola no cinema! Imagina se fomos xingados/ vaiados/ excomungados? E foi isso que fez o Titanic ser um filme inesquecível para mim.

Afunda! Afunda!